EFE
EFE

Irã só assinará acordo nuclear se sanções forem retiradas simultaneamente

Para presidente iraniano, codição é benéfica para todos os envolvidos na negociação; líder supremo diz que 'não é nem a favor, nem contra' negociações

O Estado de S. Paulo

09 de abril de 2015 | 09h20

TEERÃ - O Irã só vai assinar um acordo nuclear final com o P5+1 - Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, China, Rússia e Alemanha - se todas as sanções impostas ao país em razão de seu polêmico programa nuclear forem levantadas no mesmo dia, disse o presidente Hassan Rohani em discurso transmitido pela televisão estatal nesta quinta-feira, 9.

O Irã e as potências chegaram a um acordo preliminar na semana passada na cidade suíça de Lausanne que visa restringir o trabalho atômico de Teerã, em troca da retirada das sanções econômicas e financeiras impostas ao país.

As partes estabeleceram 30 de junho como prazo máximo para chegarem a um acordo final sobre o trabalho nuclear iraniano, que as potências ocidentais temem ter como objetivo o desenvolvimento de uma bomba atômica, mas que Teerã diz ser puramente pacífico.

"Nós não vamos assinar qualquer acordo, a menos que todas as sanções sejam levantadas no mesmo dia. Queremos um acordo ganha-ganha para todas as partes envolvidas nas negociações nucleares", disse Rohani.

Desde que foi alcançado o acordo preliminar, o Irã e os Estados Unidos parecem ter interpretações diferentes sobre algumas questões, incluindo o ritmo e a extensão da remoção de sanções.

Líder supremo. Também nesta quinta-feira, o líder supremo iraniano, Ali Khamenei, afirmou não ser "nem a favor e nem contra" o acordo de princípios alcançado na Suíça porque "os detalhes" da negociação ainda não são conhecidos.

Esta foi a primeira manifestação pública de Khamenei sobre o assunto. O líder iraniano disse que "não é necessário ter uma posição em uma questão em que ainda não se fez nada". "Alguns questionam o motivo de o líder não tomar uma posição sobre o assunto nuclear. É que não há necessidade de ter uma. Os funcionários iranianos dizem que nada foi decidido, que nada é vinculante. Assim, não estou nem a favor e nem contra o acordo", afirmou Khamenei, segundo declarações publicadas pela agência oficial iraniana, Irna.

Khamanei indicou ainda que, pessoalmente, nunca foi muito "otimista" sobre negociar com os Estados Unidos, mas deu sua aprovação ao processo, apoiou e continuará apoiando os negociadores de seu país. "O que aconteceu até agora não garante um acordo ou sequer que as negociações serão finalizadas."

O líder supremo disse também que o único acordo que apoiará será um que "garanta os interesses e a dignidade" do Irã. / REUTERS e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUAacordo nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.