Brendan Smialowski / AP
Brendan Smialowski / AP

Irã suspende jornal por criticar acordo nuclear

Outras duas publicações foram advertidas; Kerry afirmou que comportamento dos iranianos pode melhorar depois do pacto

O Estado de S. Paulo

03 de agosto de 2015 | 19h51

DUBAI - O Conselho Supervisor de Imprensa do Irã suspendeu nesta segunda-feira, 03, o jornal linha-dura 9 Dey e alertou outros dois veículos de mídia a não criticarem o acordo nuclear firmado no mês passado com as potências mundiais. 

O jornal acusou os negociadores de Teerã de ultrapassar as orientações do líder supremo, aiatolá Ali Khamenei. Os censores também advertiram o Kayhan, influente diário conservador, e o site Raja News.

Em reunião no Conselho de Cooperação do Golfo no Catar, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, disse que o “comportamento” internacional do Irã pode melhorar após o acordo nuclear, mas aqueles que acusam Teerã de subversão devem estar preparados caso isso não aconteça.

Kerry também afirmou que, uma vez aplicado, o pacto contribuirá para a segurança da região. Mas reconheceu os temores de uma possível reaproximação entre Teerã e Washington, encorajando a teocracia xiita do Irã a apoiar os aliados militares em uma região vista pelo conselho de imprensa como oprimida pelo Ocidente e por Israel.

“Trabalharemos com nossos amigos e aliados na região para ter certeza de que estamos fazendo o possível para evitar qualquer tipo de envolvimento externo, ilegal ou impróprio para desestabilizar nossos amigos e aliados”, completou Kerry. /REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
acordo nuclearIrãJohn Kerryjornal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.