Irã tenta estreitar relações com o Paquistão

O presidente do Irã, Mohammed Khatami, iniciou nesta segunda-feira sua primeira visita oficial ao Paquistão para pressionar em favor de um gasoduto de US$ 3,5 bilhões e discutir assuntos de segurança regional, desde o Afeganistão até uma possível guerra dos Estados Unidos contra o Iraque. As relações entre Teerã e Islamabad deterioraram-se depois do apoio do Paquistão aos EUA em sua guerra contra o "terrorismo", inclusive no vizinho Afeganistão. No início do ano, o presidente norte-americano, George W. Bush, citou o Irã como parte de um suposto "eixo do mal", que seria composto ainda por Coréia do Norte e Iraque. Khatami e o presidente do Paquistão, general Pervez Musharraf, reuniram-se privadamente na manhã de hoje, logo após o chefe de Estado iraniano ter sido recebido num tapete vermelho. "Os dois presidentes discutiram a situação no Afeganistão e reiteraram seu desejo de trabalhar em conjunto pela reconstrução afegã e pelo estabelecimento de um paz duradoura lá", informou o Ministério das Relações Exteriores do Paquistão por meio de um comunicado. Musharraf também concedeu a Khatami a maior honraria civil do Paquistão, a medalha Nishan-e-Pakistan, "em reconhecimento por sua destacada contribuição para promover as relações entre Irã e Paquistão e a cooperação em diversos campos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.