Irã terá que escolher entre benefícios e sanções

Os membros do Conselho de Segurança da ONU concordaram em oferecer ao Irã a oportunidade de escolher entre a concessão de benefícios ou a imposição de sanções para que o país suspenda o enriquecimento de urânio, uma ação que irá atrasar a resolução da ONU sobre o programa nuclear iraniano, informou uma fonte européia nesta terça-feira.Diretores políticos dos Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha, tomaram a decisão de apresentar as opções à Teerã depois de uma reunião de mais de três horas entre os seis países na segunda-feira, em Nova York. Chineses e russos não colaboraram com os esforços de britânicos, franceses e americanos para estabelecer uma resolução sob o Capítulo 7 da Carta da ONU tornando obrigatória a demanda para que o governo iraniano suspenda o enriquecimento.Uma resolução nesses termos declararia o Irã uma ameaça à paz e a segurança internacional e prepararia o cenário para mais medidas duras caso Teerã se recuse a colaborar. Essas medidas podem ir da ruptura de relações diplomáticas a sanções econômicas e ações militares. Como resultado da decisão desta terça-feira, os diretores políticos dos três países europeus que vêm liderando as negociações com o Irã passarão os próximos dias preparando um pacote de benefícios ou sanções, informou a fonte sob condição de anonimato.O pacote será apresentado aos ministros da União Européia (UE) paralelamente à uma reunião da UE em Bruxelas na segunda-feira, e quando for aprovado será apresentado ao governo iraniano. Esforço diplomáticoSegundo a fonte, o pacote de benefícios deve incluir pontos relacionados à segurança energética e energia nuclear para fins civis. O ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier adiantou a decisão na segunda-feira, dizendo a repórteres que os europeus planejavam lançar uma nova iniciativa juntamente com seus esforços de conseguir a aprovação da resolução. "Nos próximos dias, iremos mostrar ao Irã que tipo de vantagens podemos oferecer caso estejam dispostos a cooperar com as exigências da comunidade internacional", disse Steinmeier.Britânicos, franceses e alemães cortaram mais de dois anos de negociações com o Irã no começo deste ano depois que Teerã anunciou o recomeço de suas atividades de enriquecimento. Eles já haviam oferecido um pacote de benefícios no final do ano passado. Steinmeier afirmou que o europeus discutirão detalhes sobre o novo pacote de "vantagens" que seria oferecido. "Estou otimista, baseado nas discussões que tivemos esta noite". O ministro do Exterior da França, Philippe Douste-Blazy, também revelou na segunda-feira que a discussão concentrava-se em "maneiras de apresentar um conjunto de incentivos e impedimentos ao Irã".O Conselho, profundamente dividido, está negociando uma resolução patrocinada pelo Reino Unido e França e apoiada pelos Estados Unidos. O embaixador americano na ONU, John Bolton, disse na segunda-feira que os Estados Unidos irão votar a resolução ainda esta semana com o sem apoio da Rússia e da China. Steinmeier disse que ainda existem seis pontos proeminentes no rascunho da resolução. "Acredito que precisaremos de mais 10 ou 14 dias para que a resolução seja adotada", informou. Segundo ele, "China e Rússia ainda não aceitaram a possibilidade de uma referência geral ao Capítulo 7, mas isto é algo que não pode ser excluído neste momento".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.