Irã teria prendido membros da Al-Qaeda, segundo EUA

O Irã teria sob sua custódia alguns membros da rede extremista Al-Qaeda, inclusive um dos mais estreitos colaboradores de Osama bin Laden, procurado pelo FBI: o egípcio Saif al-Adel, considerado atualmente o possível número 3 na hierarquia da organização.As informações sobre os detidos foram aparentemente fornecidas pelo governo iraniano ao enviado especial da ONU ao Afeganistão, Lakhdar Brahimi. Até o momento, Teerã repudia acusações de que ofereceria refúgio a membros foragidos da Al-Qaeda.Segundo fontes ligadas ao serviço secreto americano, os atentados da semana passada contra a Arábia Saudita poderiam ter sido organizados a partir de supostas bases da Al-Qaeda no Irã. Recentemente, porém, o Irã teria admitido que alguns homens de Bin Laden estariam em seu território, mas detidos.Udai HusseinO comandante das forças terrestres dos EUA no Iraque garantiu desconhecer negociações com enviados do filho mais velho de Saddam Hussein para sua possível rendição. Mas adiantou que só aceita que Udai Hussein se entregue "incondicionalmente". Os comentários do tenente-general David McKiernan foram uma resposta a notícia publicada hoje no The Wall Street Journal, afirmando que Udai estaria considerando se render às forças americanas. O jornal citou "uma terceira parte com conhecimento das discussões". "Ninguém trouxe uma proposta de Udai para mim, e eu facilitaria sua rendição. Mas teria de ser incondicional", afirmou McKiernan, em Bagdá. "Não existem negociações", insistiu. A detenção de Udai Saddam Hussein, o número 3 na lista americana dos 55 ex-líderes iraquianos mais procurados, seria uma grande vitória para as forças dos EUA no Iraque pós-guerra. Udai, conhecido por sua crueldade, liderou as milícias Saddam Fedayin. O próprio paradeiro de Saddam Hussein é desconhecido, assim como o de seu sucessor indicado, o filho mais novo Qusai.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.