Irã testa míssil de longo alcance

Novo armamento alcançaria Israel, bases dos EUA e sul da Europa; analistas veem relação com eleições iranianas

Gustavo Chacra, O Estadao de S.Paulo

21 de maio de 2009 | 00h00

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, anunciou ontem que as Forças Armadas iranianas testaram com sucesso o míssil Sajjil-2, que tem um alcance de até 2 mil quilômetros - portanto capaz de atingir Israel, bases americanas no Golfo Pérsico e países do sul da Europa. O teste foi confirmado por autoridades dos Estados Unidos. Especial multimídia traz armas e ambições de potências nucleares "O míssil Sajjil 2, com uma tecnologia avançada, foi lançado hoje (ontem) e atingiu exatamente o alvo previsto", disse Ahmadinejad à agência estatal de notícias Irna em visita a uma província no norte do Irã, próximo da fronteira com o Iraque. O novo míssil é mais poderoso do que o Shehab-3, também com autonomia para atingir Israel. Com combustível sólido e mais estabilidade, o Sajjil-2 é um armamento que eleva a capacidade militar iraniana em um possível ataque contra Israel, segundo analistas militares.O ministro da Defesa do Irã, Mohammad Najjar, acrescentou que o Sajjil-2 possui "grande poder de destruição" e garantiu que a produção em massa do novo armamento já começou. Segundo o ministro, a nova arma tem o objetivo de dissuadir possíveis agressores.O anúncio do teste coincidiu com o fim da visita do primeiro-ministro de Israel, Binyamin Bibi Netanyahu, ao presidente dos EUA, Barack Obama, e ocorre semanas antes da eleição presidencial iraniana, marcada para o dia 12. "Isso pode ter levado Ahmadinejad a querer fazer uma demonstração de força", disse ao Estado Richard Russell, professor da Universidade de Segurança Nacional, de Washington.''BRINCANDO COM FOGO''O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse que Obama sempre se preocupou com o programa de mísseis do Irã. Outra autoridade americana qualificou a atitude iraniana de "passo na direção errada".Em Israel, o vice-chanceler Danny Ayalon afirmou que "os iranianos estão brincando com fogo", ao comentar o teste do Sajjil-2. Em entrevista à rádio do Exército, o israelense acrescentou que o teste não é motivo de preocupação apenas para Israel, pois o novo míssil pode atingir também a Europa. "Nós sabemos que os iranianos estão desenvolvendo mísseis que podem ter um alcance de até 10 mil quilômetros", acrescentou Ayalon, indicando que, em breve, Teerã terá capacidade de atingir os EUA. Segundo ele, "o Irã precisa ser contido".O teste realizado pelo Irã ontem, segundo analistas, fortalece a tese apresentada por Bibi aos EUA na visita desta semana. Israelenses temem que as iniciativas diplomáticas de Obama para convencer o Irã a interromper seu projeto nuclear não surtam efeitos e sirvam apenas para o regime iraniano ganhar tempo para desenvolver uma bomba atômica. O Irã diz que seu programa nuclear tem apenas fins civis.Segundo Russell, Israel avalia que uma ação preventiva contra o Irã agora seria mais simples do que daqui a alguns meses, quando os iranianos estarão ainda mais fortes. "Na Guerra Fria, americanos e soviéticos tinham 30 minutos de hiato para interromper um ataque nuclear", disse. "O Irã, sabendo do risco de uma resposta israelense, terá o incentivo de atacar primeiro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.