Irã tirou foco de Honduras na relação Brasil-EUA

A aproximação do Brasil com o Irã jogou Honduras para escanteio na lista de temas espinhosos da agenda bilateral Brasil-EUA. Se a crise hondurenha é algo "irritante" na relação entre brasileiros e americanos, o estreitamento de laços com Teerã "realmente preocupa" Washington, afirma Michael Shifter, presidente do centro de pesquisa Diálogo Interamericano.

, O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2010 | 00h00

Na OEA, os países encontram-se em lados opostos. Americanos defendem a reintegração de Honduras à organização, argumentando que a OEA contribuirá para consolidar a democracia no país. Brasileiros exigem, antes, o retorno de Zelaya. "Mas Honduras não é uma prioridade", diz Shifter. "E não interessa aos EUA que a crise tenha um alto custo na relação com o Brasil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.