Presidência do Irã
Presidência do Irã

Irã ultrapassa limite de urânio enriquecido estipulado em acordo nuclear

Chanceler diz que país tem mais de 300 kg de hexafluoreto de urânio - equivalentes a 202,8 quilos de urânio de baixo enriquecimento, o limite do pacto de 2015; monitores internacionais estão em Teerã para medir estoque de urânio enriquecido

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2019 | 09h20
Atualizado 01 de julho de 2019 | 11h58

TEERÃ - O Irã ultrapassou o limite de armazenamento de urânio enriquecido previsto no acordo de 2015 com grandes potências, nesta segunda-feira, 1º, informou o chanceler do país, Mohamed Javad Zarif, segundo a agência oficial Isna, desafiando uma advertência dos signatários europeus para que se mantivesse leal ao pacto apesar das sanções impostas pelos Estados Unidos.

Zarif confirmou que o Irã agora tem mais de 300 kg de hexafluoreto de urânio (UF6). Pouco depois, um de seus porta-vozes, Abbas Mousavi, disse que os passos tomados por Teerã para diminuir seu comprometimento com o acordo ainda serem reversíveis.

O chanceler disse também que o nunca cederá à pressão dos Estados Unidos. "Se quiserem conversar com o Irã, devem mostrar respeito. Nunca ameace um iraniano. O Irã sempre resistiu à pressão e respondeu com respeito quando respeitado."

A Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA, em inglês) afirmou que seus inspetores estão verificando se o Irã, de fato, já acumula mais urânio enriquecido do que o permitido pelo pacto. 

"Nossos inspetores estão nas instalações (nucleares do Irã) e reportarão para nossa central assim que o volume de urânio de baixo enriquecimento (LEU, em inglês) for verificado", disse um porta-voz desta agência da ONU.

Enriquecer urânio a um baixo nível de 3,6% de material físsil é o primeiro passo em um processo que eventualmente pode permitir ao Irã acumular urânio altamente enriquecido para construir uma ogiva nuclear.

Na semana passada, a IAEA verificou que o Irã tinha cerca de 200 quilos de LEU, um pouco abaixo do limite de 202,8 quilos estabelecido no acordo - e equivalentes a 300 kg de hexafluoreto de urânio. 

Depois de conversas na sexta-feira em Viena, o Irã disse que os países europeus ofereceram muito pouco em termos de assistência comercial para persuadi-lo a desistir do plano, uma resposta à decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, no ano passado de desistir do acordo e reimpor sanções econômicas.

O acordo entre o Irã e seis potências mundiais suspendeu a maioria das sanções internacionais contra a nação do Oriente Médio em troca de restrições ao trabalho nuclear com o objetivo de estender o tempo necessário para que o Irã produzisse uma bomba atômica de cerca de dois a três meses para um ano. O Irã afirma que seu programa nuclear visa somente a fins pacíficos, incluindo a geração de energia. / REUTERS e NYT

Tudo o que sabemos sobre:
Irã [Ásia]energia nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.