Irã usa internet para ameaçar opositores, diz jornal

O governo do Irã está ameaçando iranianos que moram no exterior e demonstram seu descontentamento com a forma como o país está sendo conduzido, revelou uma investigação realizada pelo Wall Street Journal. Cidadãos iranianos que participam de protestos contra o governo de Teerã em várias partes do mundo ou relevam suas opiniões sobre a situação política no país no Facebook ou no Twitter têm recebido ameaças. Em alguns casos, parentes dessas pessoas que vivem no em território iraniano são detidos e interrogados.

AE, Agencia Estado

03 de dezembro de 2009 | 19h23

As ameaças chegam por e-mails com remetentes anônimos. O jornal norte-americano entrevistou cerca de 90 pessoas em locais como Nova York, Londres, Dubai, Suécia e Los Angeles. Embora não seja possível verificar a veracidade das informações, elas apresentam descrições semelhantes e consistentes.

Alguns dos entrevistados relataram ameaças quando foram visitar familiares no Irã. Um deles, de quem as forças de segurança tinham imagens de uma manifestação contrária ao governo de Teerã da qual ele participou, disse que assinou um documento no qual aceitava ser informante do governo iraniano na Europa. A outra opção seria enfrentar um julgamento em seu país natal. Ele afirma que não respondeu aos e-mails e telefonemas feito pela inteligência iraniana.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãgovernoopositoresameaças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.