Irã vai acolher refugiados do Iraque em caso de ataque

O Irã vai estabelecer sete acampamentos para receber refugiados irquianos se os EUA decidirem atacar Saddam Hussein, informou nesta quarta-feira o site de notícias iranianoDaricheh. Os acampamentos ficarão localizados na fronteira com o Iraque a oeste e sudoeste do Irã, disseram fontes do governocitadas pelo site.Os preparativos já começaram, e as províncias de Isfahan e Fars se encarregarão de prover os refugiados dos meios logísticos necessários. Na terça-feira, o ministro iraniano do Interior, Abdolvadeh Mussavilari, havia afirmado que o Irã não receberia refugiados iraquianos, pois já abriga mais de 2 milhões de refugiados do Afeganistão.Aumentando os sinais de que os EUA devem atacar Bagdá, apesar dos esforços diplomáticos para desarmar o Iraque, o primeiro-ministro britânico, Tony Blair, em sua mensagem de ano-novo advertiu sobre o período de perigo que está por vir eque inclui a guerra contra o Iraque e um ataque terrorista contra a Grã-Bretanha.Ele também disse que não haverá lugares seguros nomundo a menos que os líderes mundiais reavivem o processo de paz no Oriente Médio. A próxima data-chave para o Iraque é o dia 27, quando osinspetores de armas da ONU entregarão seu relatório ao Conselho de Segurança sobre se encontraram ou não sinais de armas dedestruição em massa. Blair disse que Saddam deve ser desarmado pacificamente ou, em último caso, à força.O Exército dos EUA está enviando cerca de 11 milsoldados da 1ª e da 3ª brigadas da Terceira Divisão de Infantaria da Georgia para juntar-se no Kuwait a 4 mil colegas da 2ª brigada, que desde setembro está neste país.O Pentágono tem reforçado as forças americanas no Golfo Pérsico nos últimos meses, mas a Terceira Divisão de Infantaria é a primeira divisão completa, que inclui forças terrestres,aéreas e de artilharia, a ser enviada à região.A Marinha também ordenou à tripulação e combatentes do porta-aviões Abraham Lincoln que permaneçam em alto mar, na região ocidental do Oceano Pacífico, por mais três meses. Oporta-aviões e os sete navios de escolta preparavam-se para retornar à base de Everett, em Washington, depois de ter completado seu turno de seis meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.