Iranianas vão às ruas exigir igualdade social

Centenas de mulheres iranianas marcaram o Dia Internacional da Mulher com exigências por igualdade social e política em relação aos homens, na primeira manifestação deste tipo no Irã desde a revolução islâmica em 1979. "Como podemos celebrar este dia quando nossas mulheres não são autorizadas a escolher seus maridos ou a pedir o divórcio, e ganham apenas metade em relação aos homens?", disse Noushin Ahmadi, organizadora do protesto, arrancando aplausos das companheiras em um parque central de Teerã.A manifestação foi acompanhada por forte presença policial, com um destaque: os 400 policiais eram todos mulheres, pertencentes ao primeiro grupo feminino oficial formado desde 1979. A organização do evento ficou por conta do Women´s Cultural Center, uma ONG que luta pelos direitos da mulheres do Irã.Porta-vozes disseram que a passeata "protestava contra a discriminação das mulheres". A ativista Zohreh Arzani lamentou o fracasso do Irã em ratificar a Convenção pela Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra as Mulheres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.