Iraniano vai à China buscar apoio para pesquisa nuclear

O secretário do Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã e máximo negociador para a crise nuclear, Ali Larijani, inicia hoje uma visita oficial de dois dias à China,onde se reunirá com o presidente Hu Jintao com o objetivo de obter um maior apoio para Teerã.A visita foi confirmada hoje pelo porta-voz da chancelariachinesa, Liu Jianchao, que destacou que Larijani analisará com os responsáveis chineses a crise nuclear iraniana.Espera-se que o negociador iraniano transmita a Hu uma mensagem do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.A China, membro permanente do Conselho de Segurança da ONU, se mostrou contra a imposição de fortes sanções econômicas a Teerã.Pequim e Moscou, os quais durante meses se opuseram a que a ONU ditasse sanções contra o Irã, acabaram votando a favor destas em 23 de dezembro, mas conseguiram suavizar as condições que outros membros do Conselho de Segurança pretendiam exigir.A resolução aprovada pela ONU impõe a Teerã que suspenda suas atividades de enriquecimento de urânio em um prazo de 60 dias, caso contrário, congelará ativos financeiros a companhias e indivíduos envolvidos no programa nuclear iraniano.A China, potência nuclear, já foi acusada de fornecer armamento de destruição em massa ou tecnologia atômica a países como o Irã, embora Pequim sempre tenha negado as acusações e assegurado que se opõe à proliferação.O Irã é um dos principais fornecedores de petróleo à China, país que fez várias aquisições e investimentos no setor petrolífero iraniano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.