Iranianos dizem que resistirão à pressão em novo ano persa

O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, e o presidente Mahmoud Ahmadinejad celebraram as "conquistas" da República Islâmica em vários âmbitos, incluindo o nuclear, e afirmaram que resistirão aos "arrogantes" no novo ano persa, o 1.386º, que começa nesta quarta-feira, 21.Khamenei e Ahmadinejad se expressaram assim em duas mensagens dirigidas à população na festa que marca o Ano Novo iraniano, quando o Conselho de Segurança da ONU estuda a possibilidade de endurecer as sanções ao Irã por suas atividades nucleares.Os dois líderes se referiram ao caso e coincidiram em que "as potências arrogantes lançam uma guerra psicológica para impedir o desenvolvimento do Irã", em alusão à exigência da comunidade internacional para que Teerã suspenda o enriquecimento de urânio."Os inimigos tentam minar a união do povo iraniano, obstaculizar seu desenvolvimento científico e provocar o conflito sectário (entre os muçulmanos sunitas e xiitas)", disse Khamenei, líder do regime islâmico de Teerã, segundo a televisão iraniana Alalam.Por sua parte, Ahmadinejad considerou que "as potências arrogantes se aproveitam das organizações que eles próprios fundaram para impedir o desenvolvimento" do povo iraniano, em alusão ao Conselho de Segurança da ONU.O Conselho de Segurança deve iniciar ainda nesta quarta-feira as consultas sobre uma minuta de resolução estipulada pelos cinco membros permanentes do órgão e a Alemanha, para endurecer as sanções ao Irã por sua recusa a suspender o enriquecimento de urânio."Essas tentativas fracassarão", disse o presidente iraniano, que criticou os "sionistas e racistas que se esforçam para semear a discórdia entre os países do mundo a fim de dominá-los".Ahmadinejad e Khamenei lançaram um chamado a favor da unidade entre os iranianos, por um lado, e entre os países islâmicos, por outro, para "seguir a marcha do desenvolvimento". Ele insistiu ainda em que o Irã "não renunciará a seus direitos indispensáveis".Os dirigentes iranianos insistem em que seu programa nuclear tem fins pacíficos e se negam a suspender o enriquecimento de urânio por considerar que "é um direito legítimo" dos iranianos.Ahmadinejad manifestou sua intenção de viajar a Nova York para explicar no Conselho de Segurança a posição de seu país com relação ao caso. Os Estados Unidos anunciaram que concederam os vistos necessários aos líderes da República Islâmica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.