Iraque: 66 mortos em onda de ataques em Bagdá

Mais de dez ataques com carros-bomba em bairros majoritariamente xiitas de Bagdá, capital do Iraque, deixou pelo menos 66 mortos nesta segunda-feira. As explosões são a mais recente indicação de que a segurança iraquiana está se deteriorando rapidamente, na medida em que as tensões sectárias aumentam após meses de protestos contra o governo, liderado por sunitas, e a intensificação da guerra na vizinha Síria.

AE, Agência Estado

27 Maio 2013 | 18h25

Com os novos ataques subiu para quase mil o número de mortos por causa da violência nos últimos dois meses. Dessas quase mil mortes, 350 ocorreram nas últimas duas semanas.

Nenhum grupo havia assumido a autoria dos ataques desta segunda-feira, mas eles têm a marca do braço iraquiano da rede extremista Al-Qaeda, segundo autoridades locais. O grupo, conhecido como Estado Islâmico do Iraque, costuma usar carros-bomba e ataques coordenados com o objetivo de prejudicar a confiança no governo, liderado por xiitas.

O pior ataque do dia ocorreu no bairro bagdali de Habibiya, onde 12 pessoas morreram e 35 ficaram feridas quando duas bombas explodiram.

Em outro ponto de Bagdá, ataques em sequência atingiram um mercado ao ar livre na área predominantemente xiita de al-Maalif, matando seis pessoas e ferindo 12.

A ação aconteceu menos de uma hora depois de outro carro-bomba ter explodido na movimentada rua comercial Sadoun, no centro da capital, que matou cinco civis e feriu 14. Dentre os feridos havia quatro policiais de um posto de verificação que ficava nas proximidades.

A rua é uma das principais ligações da capital para hospitais, farmácias e lojas. Os bombeiros lutaram para extinguir o fogo enquanto a polícia isolava a área.

No bairro de Sabi al-Boor, ao norte, oito civis foram mortos e 26 ficaram feridos quando outro carro-bomba explodiu numa feira, informou a polícia.

Em Bayaa, sudoeste de Bagdá, um carro-bomba explodiu numa feira, matando seis civis e ferindo 16. No bairro de Kazimiyah, ao norte, a explosão de um veículo cheio de explosivos perto de um ponto de ônibus e de táxi matou quatro e feriu 11 pessoas. Na região de Sadria, centro da capital, outro carro-bomba explodiu numa feira matando três civis e ferindo 11.

Na área de Jisr Diyala, ao leste, um carro-bomba matou cinco pessoas e deixou 12 feridas. Em Shaab, no norte de Bagdá, quatro pessoas morreram e nove ficaram feridas na explosão de um carro-bomba.

Carros-bomba também explodiram nos bairros de Baladiyat, onde quatro pessoas morreram e 11 ficaram feridas, e de Hurriyah, onde cinco pessoas morreram e 14 se feriram.

Em Madain, cerca de 20 quilômetros ao sul do centro de Bagdá, a explosão de um carro-bomba deixou três mortos e nove feridos. Autoridades médicas confirmaram os números. Todas as fontes falaram sob a condição de anonimato.

Embora a violência tenha diminuído bastante no Iraque desde o ápice da insurgência, os militantes ainda conseguem realizar ataques letais em todo o país. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.