Iraque abate avião não tripulado americano

O Iraque derrubou um avião-espião norte-americano, não tripulado, que fazia um vôo de reconhecimento no sul do Iraque, informou o comandante do Estado Maior do Conjunto das Forças Armadas dos EUA, general Richard Myers. O avião Predador, que buscava sinais de programas de armas de destruição em massa no país, provavelmente foi totalmente perdido, acrescentou o general. "Eles fizeram um disparo de sorte hoje, e derrubaram o Predador", disse Myers. Um caça iraquiano penetrou na zona de exclusão no sul do Iraque e atirou contra o Predador, e os controladores perderam o contato com a aeronave, disseram oficiais norte-americanos. "Essa ação foi o último capítulo de uma longa lista de atos hostis do regime do Iraque", disse Jim Wilkinsob, porta-voz do Comando Central, que supervisiona as operações no Iraque e países vizinhos. Contudo, o general Myers disse que os EUA não vêem esse ataque como uma escalada nas tensões com Bagdá. O secretário de Defesa dos EUA, Donald Rumsfeld, disse que os EUA continuam ampliando suas forças militares no Golfo Pérsico, mas acrescentou que não há nenhuma decisão para que sejam conduzidas operações militares contra o Iraque. Ele acrescentou que o aumento da presença militar dos EUA na região é uma forma de colocar pressão sobre o Iraque, para que o país se curve à resolução 1441 da ONU, e para que as forças norte-americanas estejam prontas em caso de necessidade. As zonas de exclusão no norte e sul do Iraque foram estabelecidas depois da Guerra do Golfo em 1991 para evitar que o presidente iraquiano, Saddam Hussein, use sua força aérea nessas áreas. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Agencia Estado,

23 Dezembro 2002 | 14h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.