Iraque acusa Powell de forjar provas e sabotar inspetores

Autoridades iraquianas repudiaram as supostas provas apresentadas pelo secretário de Estado norte-americano, Colin Powell, ao Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU), acusando-as de serem um apanhado de "truques", "efeitos especiais" e "fontes desconhecidas" visando a sabotar o trabalho dos inspetores de armas da ONU no Iraque."O que ouvimos hoje foi direcionado ao público em geral e principalmente para os desinformados, a fim de influenciar sua opinião e perpetrar a agressão contra o Iraque", opinou o tenente-general Amir al-Saadi, um assessor do presidente Saddam Hussein.Ele sugeriu que a conversação monitorada apresentada por Powell foi fabricada, o desertor informante não é confiável e as fotografias de satélite mostradas "não provam nada".Al-Saadi destacou que fotos anteriores semelhantes foram checadas por equipes da ONU que constataram que as alegações de atividades suspeitas eram infundadas.Ele e o major-general Hossam Mohamed Amim, chefe de ligação com os inspetores de armas da ONU, apareceram numa sala de conferência governamental repleta de centenas de jornalistas, autoridades iraquianas e membros visitantes do Parlamento Europeu, que acompanharam atentamente a apresentação de 75 minutos de Powell, ao vivo, numa tevê por satélite.A intervenção de Powell na ONU não foi mostrada na tevê iraquiana, que preferiu divulgar uma entrevista dada por Saddam Hussein a um ex-parlamentar esquerdista britânico.Al-Saadi comentou que Powell citou vários exemplos de supostas atividades suspeitas dos iraquianos, sem destacar que tais localidades estão agora sendo regularmente monitoradas pelos inspetores da ONU.Um exemplo seria uma instalação de testes de motores de mísseis onde analistas dos EUA disseram, no ano passado, que uma nova estrutura pode servir para testar motores que ultrapassam limites de alcance impostos pela ONU.Powell disse que um novo "teto" agora bloqueia fotos por satélites dos EUA. Mas, segundo Al-Saadi, o secretário norte-americano não sublinhou que inspetores da ONU visitam regularmente a instalação, podendo ver o que se passa sob qualquer teto.Saadi descreveu a apresentação de Powell como uma "tentativa deliberada de minar a credibilidade e profissionalismo dos órgãos de inspeção ao fazer alegações que contradizem diretamente seus relatórios e jogam dúvidas sobre sua credibilidade".Uma peça-chave nas alegações do secretário dos EUA - de que o Iraque tem laboratórios móveis de armas biológicas - já havia sido levantada antes por Washington e foi rejeitada por Amin por ser "totalmente infundada".Em 18 de janeiro, inspetores da ONU examinaram dois laboratórios móveis de alimentos no Ministério do Comércio. O inspetor-chefe Hans Blix afirmou mais tarde que havia sido determinado que eles não estavam relacionados com a fabricação de armas. Ele pediu para Washington oferecer qualquer informação sólida que disponha sobre tais laboratórios.Al-Saadi acusou Washington de violar a Resolução 1.441 do Conselho de Segurança por não oferecer informação de inteligência vinculada à alegação, como exigido na resolução.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.