Iraque ameaça retaliação com ataque a Kuwait

O vice-primeiro-ministro do Iraque, Tarek Aziz, revelou hoje que o Kuwait pode ser um dos alvos da retaliação iraquiana, caso o país seja atacado pelos Estados Unidos. "Soldados norte-americanos estão no Kuwait preparando um ataque contra o Iraque", disse Aziz. "Se ocorrer uma ofensiva a partir do Kuwait, não posso afirmar que não retaliaremos." Em resposta, o ministro da Defesa kuwaitiano, Jaber Mubarak Alsabah, disse que "o regime iraquiano pagará caro se ameaçar a segurança e a soberania do Kuwait". "O Kuwait de hoje não é o mesmo de 1990", advertiu Alsabah. Ao mesmo tempo, o conselheiro do governo iraquiano Amr Mohamed Rashid acusou hoje os chefes de inspetores de armas da Organização das Nações Unidas (ONU), Hans Blix e Mohamed el-Baradei, de tentarem "causar prejuízo à imagem do Iraque" e submeter-se à pressão dos EUA e da Grã-Bretanha. Ressaltando que seu país "não possui armas proibidas nem programas para desenvolvê-las desde 1991", Rashid afirmou que o relatório apresentado pelos inspetores ao Conselho de Segurança da ONU "destaca assuntos sem importância e subestima questões mais relevantes". Enquanto prepara seu Exército para resistir a um ataque, Saddam Hussein ordenou hoje aos oficiais a ficarem alertas quanto a qualquer sinal de traição ou deserção em suas fileiras. A recomendação foi feita por meio dos jornais iraquianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.