Iraque ameaça Rússia para que o apóie na ONU

O Iraque alertou a Rússia, seu principal parceiro comercial e aliado no Conselho de Segurança das Nações Unidas, para que rejeite o novo programa de troca de ajuda humanitária por petróleo das Nações Unidas, que está sendo desenhado pelos EUA e pela Grã-Bretanha, ou correrá o risco de perder contratos lucrativos de petróleo. O Iraque ficou surpreso com o apoio da Rússia aos termos da revisão anterior do acordo, quando a lista de bens para exportação ao Iraque foi reduzida. Os EUA acreditam que a obtenção de apoio maior da Rússia sobre o que poderá ser exportado ao Iraque permitirá que o Conselho de Segurança da ONU elabore uma resolução capaz de reduzir as restrições sobre bens úteis aos civis e ampliá-las para ítens militares. Ontem, o vice-primeiro-ministro do Iraque, Tariq Aziz, disse a uma delegação de parlamentares e empresários russos que espera que Moscou "apóie o Iraque no conselho de segurança ou perderá seus contratos com este país rico em petróleo". O comércio entre a Rússia e o Iraque movimentou cerca de US$ 30 bilhões nos últimos cinco anos, dos quais US$ 7 bilhões correspondem a exportações da Rússia para o Iraque. O restante equivale a exportações de petróleo do Iraque para a Rússia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.