Iraque: americanos matam 10 durante busca por militantes da Al-Qaeda

Tropas do exército americano mataram dez insurgentes iraquianos em uma operação para encontrar os líderes da Al-Qaeda no Iraque, organização controlada no país pelo terrorista jordaniano Abu Musab al-Zarqawi.Um dos militantes ficou ferido no início da operação, realizada pouco antes do amanhecer desta quarta-feira. O insurgente estava em um esconderijo a cerca de 40 quilômetros a sudoeste de uma base aérea dos EUA em Balad, ao norte de Bagdá, informou o exército.As tropas surpreenderam um guarda e atiraram contra ele antes que o militante pudesse acionar sua pistola, diz o comunicado divulgado pelo comando militar. Assim que caiu no chão, o insurgente teria detonado uma veste explosiva, continuou o informe. Outras nove pessoas foram mortas na ação, duas dentro do esconderijo e sete enquanto tentavam fugir. Dois dos terroristas também usavam vestes suicidas.O comunicado não informa se Zarqawi era o alvo da ação, assim como não diz se outros militantes conseguiram fugir. Esta é a quarta operação informada pelos EUA contra a rede de Zarqawi desde o dia 16 de abril, quando as tropas americanas invadiram uma casa no sul da capital e mataram seis pessoas e prenderam outras cinco. Entre os detidos estaria um líder da Al-Qaeda.DiálogoOperações contra a rede de Zarqawi ocorrem no momento em que funcionários iraquianos tentam estabelecer um diálogo com os grupos da insurgência sunita. O objetivo da aproximação é convencer os militantes a se juntar ao processo político.Na semana passada, o presidente iraquiano Jalal Talabani disse que funcionários do seu gabinete haviam se encontrado com representantes da insurgência. Segundo Talabani, americanos também teriam participado dos encontros. O presidente está esperançoso de que as negociações resultem em um acordo de paz.Diplomatas americanos confirmaram os encontros com iraquianos ligados à insurgência sunita, mas evitaram identificar a que grupos eles pertenciam. No mês passado, o embaixador dos EUA no país, Zalmay Khalilzad, atribuiu a queda no número de americanos mortos em março ao crescente diálogo com os líderes sunitas.Nesta terça-feira, um importante jornal de língua árabe disse que Khalilzad se reuniu com representantes da insurgência em Amman, na Jordânia, no dia 16 de janeiro. Ainda segundo a reportagem, o embaixador teria se encontrado outras sete vezes com os insurgentes em Bagdá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.