Iraque anuncia 72 prisões após caos em Kerbala

As forças iraquianas de segurançaprenderam 72 homens armados depois dos confrontos desta semanana cidade de Kerbala, que levaram centenas de milhares deperegrinos a fugirem de uma celebração xiita, disse oMinistério da Defesa na quinta-feira. Em nota, o ministério disse que várias armas foramapreendidas durante revistas em casas na cidade, no sul dopaís. "A cidade de Kerbala agora está testemunhando estabilidadee calma", disse a nota. Os combates aparentemente opunham os dois principais blocospolíticos xiitas --o Conselho Islâmico Supremo Iraquiano, quecontrola a polícia em grande parte do sul do país, e osseguidores do clérigo Moqtada Al Sadr e da sua milícia ExércitoMehdi. O primeiro-ministro Nuri Al Maliki, xiita, visitou Kerbalana quarta-feira e atribuiu a violência a "gangues armadascriminosas e fora-da-lei, de remanescentes do sepultado regimede Saddam (Hussein)". Os confrontos de terça-feira mataram até 52 pessoas nosarredores de duas importantes mesquitas xiitas. Diante do caos, Sadr suspendeu todas as atividades armadasdo Exército Mehdi para retirar elementos insubordinados,disseram vários assessores dele na quarta-feira. Mas a violência cometida por homens não-identificadoscontra diretórios do Conselho Islâmico Supremo continuava. Umafonte militar disse que durante a noite houve um ataque a umasede do partido em Haideriya, ao sul de Kerbala.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.