Iraque apóia decisão de retirada de tropas britânicas

O governo iraquiano apoiou nesta quinta-feira, 22, a decisão do Reino Unido de retirar suas tropas do país, dizendo que esta ação coincide com o plano das Forças do Iraque em assumir o controle da segurança.O Reino Unido anunciou na quarta-feira, 21, que irá retirar do Iraque cerca de 1,6 mil soldados nos próximos meses e pretende aumentar o número de tropas que deixarão o país caso o Exército local consiga tomar conta da regiãoO primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, disse que a decisão "está em harmonia com a intenção do governo em assumir as responsabilidades de segurança na província", se referindo a Basra, uma área predominantemente xiita, no sul de Bagdá.O presidente do Iraque, Jalal Talabani, também apoiou a decisão e seu porta-voz disse que "a ação do Reino Unido será um catalisador para que as Forças do Iraque assumam a responsabilidade sob a segurança".Retirada das tropasO primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, anunciou nesta quarta-feira, 21, um cronograma para a retirada das forças britânicas do Iraque. O país, que atualmente conta com 7,1 mil soldados no país árabe, deve reduzir suas tropas para cerca de 5 mil homens já no segundo semestre desse ano. Atuando principalmente em Basra, no sul do Iraque, o Reino Unido chegou a ter mais de 40 mil homens lutando no país durante o auge do conflito.Blair, cujos índices de popularidade caíram bastante devido à decisão de participar da invasão do Iraque, em 2003, disse em pronunciamento ao Parlamento britânico que o número de soldados do Reino Unido presentes ali diminuirá em 1,6 mil nos próximos meses, mas que os militares continuariam no país ao longo de 2008, se assim for requisitado."A redução feita agora no tamanho das forças significará uma queda dos atuais 7,1 mil soldados - um contingente menor do que o de 9 mil soldados dois anos antes e de 40 mil soldados na época dos conflitos - para cerca de 5,5 mil", afirmou Blair em pronunciamento ao Parlamento. "Os militares britânicos continuarão presentes (no Iraque) ao longo de 2008, pelo tempo que isso for requisitado e enquanto tiverem uma missão a cumprir."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.