Iraque aprova presença de tropas estrangeiras em 2009

O Parlamento iraquiano aprovou hoje uma medida que permitirá a permanência de tropas estrangeiras no país até o fim de julho de 2009. A decisão não inclui os soldados norte-americanos que, segundo um acordo feito entre Bagdá e Washington no mês passado, devem ficar no Iraque até o fim de 2011. A resolução foi aprovada momentos depois de o presidente do Parlamento, o sunita Mahmud al-Mashhadani, ter informado sua renúncia.A proposta substitui o mandato da Organização das Nações Unidas (ONU), que chega ao fim dia 31, e legitima a presença de forças de segurança estrangeiras no país árabe. A Grã-Bretanha anunciou na semana passada que planeja retirar seus cerca de quatro mil soldados da região até o fim de maio. A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Austrália, El Salvador, Estônia e Romênia também têm soldados no Iraque, mas em menor número. Já os mais de 140 mil soldados dos Estados Unidos devem permanecer no país árabe até o fim de 2011.A votação da resolução foi postergada por confrontos internos entre Mashhadani e parlamentares xiitas e curdos. A tensão entre as duas partes aumentou na semana passada após uma acalorada discussão no Parlamento sobre a prisão do jornalista Muntadar al-Zaidi - que, no dia 14, atirou seus sapatos contra o presidente norte-americano, George W. Bush. Na ocasião, Mashhadani ameaçou adiar a votação.A renúncia do presidente do Parlamento foi recebida com aplausos e, meia hora depois, a resolução foi aprovada. O posto de Mashhadani será ocupado por um de seus vices até que o principal partido sunita do Iraque escolha um sucessor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.