Iraque ataca para recuperar o território de Hawija, dominado pelo EI

Cidade iraquiana é a última importante que ainda está sob comando do grupo jihadista

Das agências de notícias, O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2017 | 05h18

BAGDÁ - O primeiro-ministro iraquiano, Haider al Abadi, anunciou nesta quinta-feira, 21, o início da ofensiva para recuperar a cidade de Hawija, um dos últimos territórios dominados pelo Estado Islâmico (EI) no país iraquiano. 

"Ao amanhacer, anunciamos o lançamento da primeira etapa da liberação de Hawija. Estamos seguindo nosso acordo com a população iraquiana, que espera a liberação de todo o território nacional", informou o comunicado.  

Hawija, no estado de Kirkuk, é a última cidade importante do Iraque, junto a Al Qaim, que segue nas mãos do grupo. "Cumprimento todas as forças que levam a diante várias batalhas de liberação. Ao mesmo tempo, nossas equipes têm tido sucessivas vitórias, e a reconquista de Hawija será mais uma delas. 

Um jornalista da Agence Frence-Press, que está no local, informou que já nesta manhã se escutava fogo da artilharia eo exército, que já estava a caminho de Sharqat, localizada ao sudoeste de Hawija. Esta, com 70 mil habitantes em sua maioria árabes sunitas, está a 180 km ao sudeste de Mosul e cerca de 300 km ao norte de Bagda. 

Hawija é a principal fonte de produção agrícola de Kirkuk, especialmente de trigo, cevada e milho. Durante anos foi considerada um ponto a mais na tensão entre as comunidades xiita e sunita. Em abril de 2013, as forças de segurança dominadas pelos xiitas intervieram em um acampamento contra os sunitas. 

Nos enfrentamentos, morreram 50 pessoas, e o episódio marcou o início da violência que durou anos, e resultou na ofensiva do EI, que dominou amplas extensões do território iraquiano no ano seguinte.

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.