Iraque: Ataques contra sunitas matam 49

Duas bombas que explodiram perto de uma mesquita e outra detonada em um funeral sunita mataram 49 pessoas no Iraque nesta sexta-feira, informaram autoridades, após dois dias de ataques contra xiitas que deixaram dezenas de mortos.

AE, Agência Estado

17 de maio de 2013 | 17h48

O aumento da violência eleva os temores sobre os assassinatos por vingança ocorridos no ápice dos confrontos sectários no Iraque, que resultaram na morte de dezenas de pessoas.

Uma bomba explodiu enquanto fiéis estavam saindo da mesquita Saira, na cidade de Baquba, ao norte de Bagdá, enquanto a segundo foi detonada depois que as pessoas de juntaram no local após a primeira explosão, matando um total de 41 pessoas e ferindo 57, informaram policiais e médicos.

Em Madain, ao sul de Bagdá, uma bomba colocada à margem de uma via explodiu perto de um cortejo fúnebre de um sunita, matando oito pessoas e ferindo pelo menos 25.

As explosões são a mais recente de uma série de ataques que tiveram como alvo locais frequentados tanto sunitas quanto por xiitas nas últimas semanas e acontecem após dois dias de ações contra alvos xiitas.

Na quinta-feira, um suicida matou 12 pessoas na entrada de Al-Zahraa Husseiniyah, um local de culto xiita na cidade de Kirkuk onde parentes de vítimas de atos de violência do dia anterior recebiam condolências.

Carros-bomba atingiram três áreas de maioria xiita de Bagdá na quinta-feira, matando dez pessoas. Vinte e uma morreram numa série de ataques contra áreas xiitas da capital um dia antes.

Homens armados também mataram o irmão de um parlamentar sunita em Bagdá na quinta-feira. O primeiro-ministro Nuri al-Maliki responsabilizou a intolerância pela violência religiosa. "O derramamento de sangue (...) é resultado do ódio sectário", disse Maliki. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.