Iraque: ataques deixam 46 mortos e mais de 200 feridos

Explosões e disparos em todo o Iraque mataram pelo menos 46 pessoas nesta terça-feira, dias antes de uma reunião da Liga Árabe em Bagdá. O objetivo do governo iraquiano era mostrar a estabilidade do país antes da cúpula, prevista para ocorrer no final do mês. Os atentados aconteceram em oito cidades iraquianas, incluído um na protegida Zona Verde da capital Bagdá. Pelo menos um ataque foi reivindicado pelo ramo iraquiano da organização Al-Qaeda, o Estado Islâmico do Iraque. Os ataques deixaram mais de 200 feridos.

AE, Agência Estado

20 Março 2012 | 17h11

O governo dos Estados Unidos condenou os ataques e disse que as forças iraquianas são capazes de garantir a segurança no país. No final de dezembro, os EUA retiraram suas últimas tropas de combate do Iraque. Já a Síria disse que a mesma "mão assassina" está por trás dos ataques que aconteceram hoje nas cidades iraquianas e no final de semana passado em Damasco e Alepo. A chancelaria síria "condena em termos fortes as explosões terroristas" no vizinho Iraque.

"A morte se aproximará de vocês quando menos a esperarem", disse um comunicado sombrio do Estado Islâmico do Iraque. As autoridades iraquianas temem que a Al-Qaeda e seus simpatizantes, extremistas sunitas, tentem sabotar a cúpula da Liga Árabe.

A reunião da Liga Árabe será realizada no Iraque pela primeira vez em décadas. O plano para que Bagdá sediasse o encontro no ano passado foi adiado, em parte por cauda dos temores sobre a segurança no país.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.