Iraque cobra participação de França e Alemanha em treinamentos

O vice-chanceler iraquiano, Hamid al-Bayati, dirigiu novo apelo à França e à Alemanha para que participem da campanha de treinamento de forças de segurança iraquianas. Tanto Paris quanto Berlim se comprometeram a participar de um programa de treinamento durante a cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), encerrada na terça-feira, em Istambul, na Turquia, mas com uma ressalva: desde que a tarefa não seja levada a cabo em território iraquiano.França e Alemanha condenaram a ocupação do Iraque pelas tropas anglo-americanas e não mantêm unidades militares naquela país. Atualmente, há no Iraque 160 mil soldados estrangeiros - em sua grande maioria americanos. Agora, eles estão sob jurisdição do governo provisório iraquiano e com mandato do Conselho de Segurança da ONU - embora comandados pelos Estados Unidos.Hoje, o Reino de Tomba, pequeno arquipélago do Pacífico, anunciou que enviará ao Iraque 45 fuzileiros, ou seja, 10% do efetivo de sua força naval de 450 homens. Os fuzileiros de Tonga vão atuar na província iraquiana de Anbar - a que mais oferece resistência à ocupação.Também o Bahrein, país árabe do Gol Pérsico, anunciou hoje que está pronto para enviar uma unidade militar ao Iraque para participar das operações de segurança dos mananciais de água potável do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.