Iraque cometeu ?violação material? de resolução, diz Reino Unido

O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Jack Straw, afirmou que o Iraque cometeu uma "violação material" da resolução da Organização das Nações Unidas (ONU), que exigia que o país se desfizesse de todos os armamentos de destruição em massa. Straw afirmou que os informes apresentados pelos inspetores de armas ao Conselho de Segurança da ONU evidenciaram que o Iraque não aceitou, genuinamente, a resolução e que isso torna ainda mais provável uma guerra contra o presidente iraquiano, Saddam Hussein. "A probabilidade de se resolver a questão por meios pacíficos diminuiu", declarou Straw, em entrevista à BBC. No início do mês, Straw declarou que havia uma chance de 40% de haver uma guerra contra o Iraque. "O tempo está acabando para o Iraque", alertou. De acordo com os informes dos inspetores da ONU, Bagdá violou materialmente a resolução 1441. A resolução determina que Bagdá não faça declarações falsas ou omissões no seu inventário sobre armas e que implemente a decisão. O Iraque declarou que não detém armamentos de destruição em massa. Os inspetores da ONU farão uma nova apresentação ao Conselho de Segurança da ONU no dia 14 de fevereiro, mas Straw ressaltou que este não seria o deadline para Saddam cooperar com a resolução. "Não estamos discutindo um ultimato no momento", afirmou. "Mas o Iraque cometerá um erro profundo se pensar que pode continuar com esse jogo por mais tempo", disse. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.