Iraque demite chefe de Polícia por ataques à mesquitas

Governo responsabiliza autoridade em Basra por não evitar atentados aos templos

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 14h26

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, demitiu o chefe da Polícia de Basra nesta segunda-feira, 18, por não conseguir conter os ataques neste final de semana às mesquitas sunitas no país, segundo informações divulgadas pela Polícia. Pelo menos dois grandes templos foram atacados na região de Basra no final de semana, em retaliação ao atentado à mesquita xiita em Samarra, em que os minaretes foram destruídos. O General Mohammed Hamadi al-Mousawi, destituído do cargo, era "visto como incompetente, pois não foi eficiente em interromper os ataques dos extremistas xiitas", disse um dos soldados da Polícia iraquiana em condição de anonimato. Um porta-voz de al-Mousawi declarou que ele somente seria substituído como parte da reconstrução do departamento policial na cidade de Basra. Basra é considerada a segunda maior cidade do Iraque, distante 550 quilômetros de Bagdá. No sábado, as mesquitas de al-Ashrah al-Mubashra foram destruídas completamente por insurgentes. Na última quarta-feira, uma explosão atingiu o santuário de Samarra, que abriga os túmulos dos imãs (sacerdote muçulmano) Ali al-Hadi e Hussein al-Askari, provocando o desmoronamento de dois minaretes. Na quinta, em aparente represália aos ataques contra a mesquita de Samarra, cinco mesquitas sunitas foram atacadas e incendiadas no sul de Bagdá.

Mais conteúdo sobre:
Iraque mesquitas ataque demissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.