Iraque diz que abateu avião dos EUA em legítima defesa

O Iraque defendeu hoje que o abatimento de um avião-espião "Predador" norte-americano, não tripulado, que fazia um vôo de reconhecimento no sul do país, na segunda-feira, não constitui uma violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU. Segundo a imprensa, Bagdá acredita que o Iraque tem o direito legítimo de defender seu território. "A destruição do avião se inscreve no âmbito da legítima defesa e da resistência à violação do nosso espaço aéreo por parte de aviões norte-americanos e britânicos?, defendeu o diário do partido governista. Outro diário, o Al-Iraq, disse que as zonas "de exclusão" de vôos - no norte e sul do Iraque - ?foram impostas unilateralmente por Washington e não têm nenhuma relação com decisões do Conselho de Segurança da ONU?.

Agencia Estado,

25 Dezembro 2002 | 12h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.