Iraque diz que ataque dos EUA feriu três civis

Os bombardeios aéreos dos EUA no sul do Iraque, nesta terça-feira, deixaram três civis iraquianos feridos, informou um porta-voz militar em Bagdá. Aviões americanos e britânicos atacaram "áreas residenciais" da província de Maisan, no sul do país, afirmou o porta-voz, não identificado pela agência oficial IRNA. A defesa antiaérea iraquiana expulsou os aviões, disse a fonte citada pela agência. Funcionários dos EUA disseram hoje que seus caças bombardearam instalações de defesa iraquianas no sul do Iraque, próximas à capital da província de Maisan, al-Amarah, cerca de 192 km a sudeste de Bagdá. Eles disseram que o ataque foi em resposta a "ameaças e atos hostis do Iraque" contra pilotos americanos e britânicos que patrulham uma zona de exclusão aérea no sul do território iraquiano. Não deram mais detalhes. O ataque ocorreu no momentoem que os EUA analisam opções para derrubar o presidente iraquiano, Saddam Hussein. Aviões dos EUA e da Grã-Bretanha que monitoram as zonas de exclusão aérea no sul e no norte do Iraque atacam regularmente instalações militares iraquianas. Tais zonas foram estabelecidas logo após a Guerra do Golfo de 1991 para proteger os curdos e os muçulmanos xiitas das forças militares iraquianas. O Iraque considera as zonas de exclusão uma violação à sua soberania.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.