Iraque diz-se pronto para retirada dos EUA

Obama deve anunciar amanhã que removerá tropas até agosto de 2010

REUTERS E AFP, O Estadao de S.Paulo

26 de fevereiro de 2009 | 00h00

O governo iraquiano assegurou ontem que estará preparado para assumir o controle total da segurança do Iraque assim que as forças americanas deixarem o país, mesmo que isso ocorra dentro de 19 meses, prazo menor do que o previsto inicialmente.Um acordo firmado em novembro entre ex-presidente americano George W. Bush e o primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, estabelecia o fim de 2011 como data limite para a retirada total. Mas, ontem, em Washington, fontes ouvidas por diversas agências de notícias afirmaram que o novo prazo deve ser mesmo de 19 meses."Nós esperávamos que a retirada fosse de acordo com o cronograma mencionado neste acordo", disse o brigadeiro Mohammed al-Askari, porta-voz do Ministério da Defesa do Iraque. "Mas se o presidente dos EUA decidir pela retirada em 19 meses, com o aval do governo iraquiano, nós aceleraremos nossos preparativos para estarmos prontos a tempo."NEGOCIAÇÕESO novo prazo teria sido fixado a partir de uma negociação entre o presidente dos EUA, Barack Obama, e seus comandantes militares. Durante a campanha presidencial, Obama havia prometido a retirada dos soldados americanos em 16 meses. Mas ao assumir ele foi confrontado com o temor dos comandantes de que uma retirada antecipada pudesse ameaçar as condições de segurança no Iraque.O vice-presidente americano, Joe Biden, disse ontem que o presidente fará uma declaração exclusivamente sobre este tema amanhã ou " muito brevemente".Em Bagdá, Askari assegurou que 600 mil militares iraquianos - treinados e equipados pelos americanos - poderão apressar seus preparativos para assumir o controle da segurança no Iraque desde que o novo prazo seja submetido à aprovação governo iraquiano.Ele também destacou que a chegada de novos equipamentos militares será fundamental para o sucesso da transição. "Estamos nos esforçando e usando nossas relações com diferentes países para encurtar o tempo necessário para equipar o Exército iraquiano. Até agora, foram alcançados bons resultados", declarou o porta-voz.O ministro da Defesa iraquiano, Abdul Qaeder Jassim, esteve recentemente em Washington negociando a compra de tanques de guerra modelo Abrams M-1 e caças F-16, ambos de fabricação americana.Os EUA dizem já ter recebido do Iraque encomendas de armas, uniformes e outros materiais militares no valor total de US$ 5 bilhões. Em setembro, a Marinha iraquiana receberá o primeiro navio de guerra desde o fim do regime de Saddam Hussein, há seis anos. A embarcação é considerada um meio estratégico para a proteção das vias de escoamento da produção de petróleo do Iraque. Um segundo navio de guerra é esperado para o início do ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.