Iraque e Coréia do Norte podem ter o vírus da varíola

O serviço secreto norte-americano acredita que quatro nações, além dos Estados Unidos, provavelmente possuem amostras do vírus da varíola, disse uma fonte norte-americana. Esses países seriam Coréia do Norte, França, Iraque e Rússia.Também suspeita-se que a Al-Qaeda possua amostras do vírus para uso em armas biológicas, mas as autoridades norte-americanas não acreditam que a rede de Osama bin Laden seja capaz de orquestrar um ataque com o vírus.Evidências colhidas no Afeganistão apontam para o interesse de Osama bin Laden no vírus, disse hoje a fonte ligada ao governo norte-americano, sob a costumeira condição de anonimato.As autoridades norte-americanas temem que Iraque e Coréia do Norte possam desenvolver armas biológicas potentes a partir de suas amostras. Além disso, a frágil segurança na Rússia poderia permitir que outros países tenham acesso ao vírus, para utilizá-lo em armas.Os temores de que a varíola, declarada erradicada em 1980, volte a causar vítimas pelo mundo levaram o governo do presidente George W. Bush a considerar vacinas para a população norte-americana e a preparação de planos emergenciais, no caso de uma epidemia ser detectada.Historicamente, a varíola mata uma em cada três vítimas infectadas e pode ser transmitida de uma pessoa para outra, o que não ocorre com outras armas biológicas, como o antraz.Estados Unidos e Rússia são os únicos países que declaram publicamente a posse de amostras de varíola.Muitos especialistas suspeitam que a Coréia do Norte possua o vírus. Um informe do serviço secreto russo datado de 1993 acusa o regime de Pyongyang de manter a varíola como arma biológica, apesar de a informação não ter sido confirmada publicamente.Antes de 1998, inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) teriam descoberto evidências de que o Iraque faz pesquisas com a varíola. Foi encontrada uma máquina com a inscrição "varíola". O Iraque também estaria pesquisando um vírus semelhante, que afeta camelos.Em sua edição de hoje, o jornal norte-americano The Washington Post revelou que o serviço secreto norte-americano recebeu pela primeira vez informações segundo as quais a França teria amostras de varíola.Aparentemente, a posse do vírus teria fins defensivos, para programas de pesquisa de vacinas e outras formas de conter uma possível epidemia entre os franceses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.