Iraque envia reforços para enfrentar coalizão em Najaf

Uma vasta coluna da Guarda Republicana, as unidades de elite das Forças Armadas iraquianas, deixou hoje à noite uma base militar de Bagdá e dirigia-se a Najaf, a cerca de 160 km da capital, onde se encontram as tropas da força anglo-americana que avançam a partir do sul. "A coluna é formada por cerca de 1.000 unidades móveis, que incluem tanques, veículos blindados de transporte de tropas e caminhões", informou a rede de TV americana CNN, citando um de seus repórteres incorporados ao 7.º Regimento de Cavalaria dos EUA.A Guarda pode ter sido mobilizada para lançar um contra-ataque para aproveitar-se da suposta exaustão das tropas da coalizão, causada pelo rápido avanço de suas bases no Kuwait até a região central do Iraque. Segundo a emissora, a coluna iraquiana se deslocava em meio à forte tempestade de areia que, desde a véspera, tem reduzido a velocidade do avanço das tropas da coalizão. O mau tempo também dificulta a decolagem de aviões e helicópteros de combate, que poderiam dar apoio às forças de terra anglo-americanas. "O destacamento da Guarda Republicana deixou Bagdá na direção do sul, numa velocidade entre 30 e 50 quilômetros por hora, muito acelerada para um deslocamento desse tipo", disse uma fonte militar da coalizão. Nesse ritmo, a coluna chegaria a Najaf ainda durante a noite, aparentemente para dar apoio a combatentes da milícia pró-Saddam Hussein, Fedayin (que significa "homens de sacrifício"), mas analistas militares americanos não acreditavam numa batalha noturna em meio ao mau tempo. A Guarda Republicana, a mais bem armada e treinada unidade militar iraquiana, protege Bagdá, posicionada em três cinturões. Em Washington, o general Stanley McChrystal disse em entrevista coletiva hoje à noite não ter ainda nenhuma informação sobre o deslocamento das forças de Saddam. Segundo ele, o Pentágono foi informado apenas de fortes combates com os fedayin nos arredores de Najaf. "As baixas sofridas pelo inimigo são centenas, enquanto nossas tropas não sofreram nenhuma baixa", disse. Um porta-voz militar iraquiano, por seu lado, disse que forças especiais da Guarda Republicana atacaram tropas da coalizão no centro-sul iraquiano, destruindo seis veículos blindados e infligindo um grande número de baixas. A rendição das tropas iraquianas em Najaf é imprescindível para garantir o controle do sul do país, na tentativa das tropas aliadas de seguir avançando para o oeste e o norte, e fechar o cerco sobre Bagdá, antes de tentar tomar a capital. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.