Iraque fecha fronteira com o Irã e cancela vôos para a Síria

Em um dia marcado pela ampliação das tensões entre Washington e Teerã, o governo iraquiano proibiu a travessia da fronteira com o Irã e cancelou todos os vôos destinados e provindos da Síria por tempo indeterminado. As medidas fazem parte de um plano de segurança do governo, que visa diminuir a violência na capital e em regiões próximas, de acordo com um membro do parlamento.Também nesta quarta-feira, o diário americano Los Angeles Times revelou que os Estados Unidos pretendem utilizar aviões da Força Aérea e da Marinha para patrulhar a fronteira entre o Iraque e o Irã para impedir a entrada clandestina de explosivos no país árabe. Refletindo os temores de que a escalda retórica entre EUA e Irã possam desencadear algum tipo de conflito, o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki disse que não permitirá que seu país se torne o campo de batalha para as duas naçõesUm funcionário do aeroporto disse que os vôos de ida ou volta à Síria cessaram nesta terça-feira e estarão cancelados por, no mínimo, duas semanas. A declaração foi feita em condição anonimato, pois ele não estava autorizado a revelar esta informação.O legislador e membro da Comissão de Segurança e Defesa Hassan al-Sunneid disse que a medida "foi em preparação para o plano de segurança. O Estado decidirá quando os vôos voltarão".Autoridades da Síria negaram nessa quarta-feira que barrariam vôos das linhas aéreas iraquianas, mas afirmaram que não permitiriam a entrada de aeronaves iraquianas sem requisitos de segurança ou as sem permissão para pousar. A companhia Linhas Aéreas Iraquianas é a única conexão aérea entre as capitais da Síria e do Iraque.Al-Sunneid recusou-se em confirmar que a fronteira da Síria também seria fechada, declarando apenas que "mais decisões serão tomadas".Autoridades de Bagdá disseram que a travessia entre Irã e Iraque foi fechada por causa do festival xiita de Ashura, onde milhares de peregrinos - muitos do Irã - destinam-se para a cidade iraquiana sagrada de Karbala.Conflito EUA x IrãMaliki disse nesta quarta-feira que está convencido de que o Irã está por trás de ataques dirigidos às forças americanas em território iraquiano e não permitirá que seu país se torne o campo de batalha das duas nações."Nós dissemos aos iranianos e aos americanos que sabemos do problema entre os dois países, mas estamos pedindo, por favor resolvam seus problemas fora do Iraque", disse Maliki à CNN."Não aceitaremos que o Irã use o Iraque para atacar forças americanas", declarou o primeiro-ministro."Não queremos que as forças americanas usem o Iraque como campo para atacar o Irã ou a Síria", acrescentou.Washington acusa o Irã de fomentar ataques terroristas ao redor do mundo e darem continuidade a programas nucleares de desenvolvimento de bombas atômicas. O Irã nega todas as afirmações. Os EUA atualmente procuram impor novas limitações ao Irã, mas encontram oposição da Rússia e da União Européia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.