AFP PHOTO / AHMAD AL-RUBAYE
AFP PHOTO / AHMAD AL-RUBAYE

Iraque inicia segunda fase de ofensiva contra o Estado Islâmico em Mossul

Operação conjunta das forças especiais, polícia e Exército começaram a avançar sobre bairros do leste e norte da cidade depois de pausa significativa na campanha iniciada há 9 semanas

O Estado de S. Paulo

29 Dezembro 2016 | 09h42

MOSSUL - Forças de segurança do Iraque iniciaram nesta quinta-feira, 29, a segunda fase de sua ofensiva contra militantes do Estado Islâmico em Mossul, avançando sobre alguns bairros do leste onde a batalha está em um impasse há quase um mês. Milhares de tropas federais que se deslocaram dos arredores do sul de Mossul duas semanas atrás também se lançaram sobre bairros do sudeste, noticiou a televisão estatal.

"Esta é a segunda fase da operação para libertar Mossul conduzida pelas forças especiais, a polícia federal e nós nesta frente", disse o general Nejm Jabouri, experiente comandante do Exército, em um vilarejo logo ao sul de Mossul.

Desde que a ofensiva para capturar a cidade teve início nove semanas atrás, forças de contraterrorismo retomaram um quarto de Mossul, o último grande bastião dos militantes no Iraque, mas seu progresso tem sido lento e custoso. Neste mês eles entraram em uma "recomposição operacional" já planejada, a primeira pausa significativa da campanha.

Um agente de uma unidade de elite do Ministério do Interior disse nesta quinta-feira que a unidade está avançando juntamente com as forças contraterroristas no bairro de Intisar, em Mossul, onde soldados do Exército aconselhados por forças dos Estados Unidos fizeram pouco progresso.

"Nossas tropas estão avançando agora. Nos primeiros cinco ou dez minutos eles ocuparam 500 metros. Agora mesmo estão começando a atirar", disse o oficial.

Uma coluna de fumaça branca, provavelmente causada por um ataque aéreo, se elevou de um bairro do sudeste na manhã desta quinta, enquanto na frente norte disparos intensos eram audíveis e um carro-bomba foi desarmado pelo Exército iraquiano antes de atingir seu alvo. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Iraque Estado Islâmico Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.