Iraque lança plano de segurança para áreas importantes

O chefe da Polícia Nacional do Iraque, general Hussein al-Awadi, traçou hoje planos para proteger áreas importantes do país, incluindo o Banco Central e sítios arqueológicos. Os iraquianos estão ganhando mais responsabilidades no país, após a recente aprovação de um pacto de segurança com os Estados Unidos.Apesar do aumento das medidas de segurança e de uma forte queda na violência durante o último ano, os ataques continuam e isso levanta preocupações em relação à capacidade das forças iraquianas de garantir a segurança no país, à medida que os norte-americanos se preparam para a retirada, em 2011.Awadi afirmou que um batalhão de entre 500 e 600 policiais será destacado para proteger o Banco Central, em Bagdá. Também será criada uma nova agência para dar segurança a sítios arqueológicos e antiguidades, que enfrentaram grandes saques após a invasão norte-americana, em 2003, e ainda não foram totalmente recuperados.DiretórioO comandante da polícia afirmou que um diretório foi estabelecido para proteger embaixadas e missões diplomáticas, que vão eventualmente incluir a embaixada dos EUA. Além disso, Awadi informou que a Polícia Nacional vai trabalhar com o Ministério do Interior para criar uma força de proteção para a Zona Verde, a área fortemente protegida no centro de Bagdá, onde fica a Embaixada dos EUA e a sede do governo do Iraque.O Iraque assinou no fim de novembro um pacto com os EUA que tem efeito a partir de 1º de janeiro de 2009 e vai permitir que as forças norte-americanas permaneçam no país por mais três anos, com vigilância mais estrita das tropas iraquianas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.