Iraque liberta 888 prisioneiros em meio a protestos

As autoridades do Iraque afirmaram nesta terça-feira que libertaram 888 prisioneiros em duas semanas para aplacar as manifestações dos sunitas, que já duram dois meses, contra o primeiro-ministro xiita do país. Os protestos ocorrem em meio a uma crise política que colocou o premiê Nuri Al-Maliki contra diversos apoiadores do governo meses antes das eleições regionais.

AE, Agência Estado

22 de janeiro de 2013 | 16h11

Os manifestantes protestam contra a exploração de leis anti terroristas por autoridades xiitas, que têm como alvo a minoria, e exigiram a libertação de prisioneiros que, segundo eles, foram presos injustamente.

O vice-premiê do país, Hussein Al-Shahristani, disse que 888 prisioneiros foram libertados desde 7 de janeiro, além de 1.041 terem sido soltos sob fiança. Ele prometeu que as libertações ocorrerão diariamente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueprisioneiroslibertação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.