Iraque não havia retomado programa de armas proibidas, diz ONU

Contrariando os argumentos utilizados pelos Estados Unidos para irem à guerra no Iraque, a Agência Internacional de Energia Atômica da ONU (AIEA) disse nesta-quinta-feira que o material encontrado e que faz parte do programa original de desenvolvimento de armas nucleares no país árabe parece confirmar sua tese de que tal projeto não havia sido reativado. Os comentários refletem a disputa em marcha entre as Nações Unidas e Washington a respeito de se Saddam Hussein estava tentando construir armas de destruição em massa. O governo dos EUA alegou o desenvolvimento desse programa para ir à guerra contra Bagdá, enquanto que os inspetores da ONU disseram que suas investigações no território iraquiano não forneceram pistas sobre esses projetos.Alimentando a controvérsia, um oficial de inteligência dos EUA disse na quarta-feira que as autoridades americanas estavam examinando material e documentos sobre o programa de armas do Iraque do início dos anos 90 que lhes foi fornecido por um cientista nuclear iraquiano.O cientista, Mahdi Shukur Obeidi, ex-chefe do programa de enriquecimento de urânio iraquiano, teria dito que enterrou o material sob uma roseira há 12 anos por ordem de Qusay, filho de Saddam.O oficial de inteligência admitiu, no entanto, que a descoberta não é uma ?prova contundente? daquilo que Washington está tentando provar. Em Viena nesta quinta-feira, a AIEA sugeriu que as revelações de Obeidi confirmam exatamente o contrário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.