Iraque não produz armas químicas, diz ex-inspetor americano da ONU

O norte-americano Scott Ritter, ex-chefe dos inspetores da ONU no Iraque, acusou hoje de "mentiroso" o chefe do Pentágono, o secretário de Defesa Donald Rumsfeld, ao descartar que Bagdá tenha fábricas subterrâneas de armas de destruição em massa. "Eu acompanhei todas as pistas que me indicaram os serviços de inteligência e até 1998 não encontramos uma só destas fábricas", disse Ritter ao semanário suíço Die Weltwoche.Ritter contou que entre 1993 e 1998 os inspetores da ONU se valeram da colaboração da CIA e de geofísicos norte-americanos para investigar o Iraque. "É impossível que desde então o Iraque tenha construído fábricas subterrâneas sem que elas possam ser captadas pelos satélites americanos", afirmou o ex-inspetor.Para ele, Rumsfeld é "um mentiroso obcecado pela idéia de liqüidar Saddam Hussein. Essa obsessão é irresponsável e viola todos os princípios éticos que constituem a força dos EUA". Ritter disse que o Iraque produziu "antraz de má qualidade" e que a última vez que o fez foi durante a Guerra do Golfo de 1991.O ex-chefe de inspetores da ONU, membro do corpo dos fuzileiros navais durante aquela guerra, disse que descobriu e destruiu fábricas de gás tabun e sarin, mas não pôde demonstrar que o regime de Saddam tenha desenvolvido o gás nervoso vx de forma cristalina.Sobre as acusações dos EUA de que o Iraque pode produzir armas nucleares, Ritter disse que Rumsfeld "mente e quer desencadear uma guerra antes de demonstrar os fatos".Ele renunciou ao cargo em 1998 e em seguida acusou Washington de querer utilizar os inspetores da ONU para fazer espionagem no Iraque - uma hipótese usada pelo presidente iraquiano Saddam Hussein para expulsar os demais inspetores internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.