Iraque nega possuir armas e vínculos com a Al-Qaeda

O Iraque negou hoje veementemente que possua armas químicas e biológicas e tenha vínculos com a rede terrorista de Osama bin Laden, a Al-Qaeda, como acusou o presidente americano, George W. Bush, em seu discurso de terça-feira. "Nego totalmente isso", afirmou o vice-primeiro-ministro Tareq Aziz à TV americana ABC. "E desafio Bush e seu governo a apresentarem qualquer prova disso. Todos na região, e no mundo, sabem que o Iraque não tem nenhuma conexão com a Al-Qaeda."Aziz ressaltou as diferenças ideológicas entre o regime iraquiano e essa organização extremista islâmica, negou que o Iraque possua armas de extermínio e declarou que o país está preparado para a guerra "amanhã" e para os "piores cenários".O vice-presidente Taha Yassin Ramadan disse que o país enviaria um relatório detalhado à ONU, em 24 horas, para esclarecer as questões levantadas pelos inspetores da ONU perante o Conselho de Segurança.O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, endossou no Parlamento as alegações de Bush sobre os vínculos da Al-Qaedacom o Iraque, ressalvando desconhecer a amplitude dessa ligação."Não temos provas de relações entre o Iraque e a Al-Qaeda emcircunstâncias relativas ao atentado de 11 de setembro", disseBlair, na primeira declaração oficial do país sobre essa supostaligação.Horas depois, um porta-voz da chancelaria britânica assinalou que agentes da Al-Qaeda se refugiaram em território iraquiano com autorização do regime local. "Acreditamos que haja agentes da Al-Qaeda na parte do Iraque controlada por Bagdá. É muito difícil que isso tenha ocorrido sem o conhecimento do governo, sem que tenha dado seu aval."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.