Iraque nega ter dado arma química à Al-Qaeda

Um destacado general iraquiano classificou de "ridículas" notícias veiculadas nos Estados Unidos, dando conta de que o Iraque entregou uma arma química para um grupo extremista islâmico, vinculado à Al-Qaeda. "Eles sabem muito bem", afirmou o tenente-general Hossam Mohammed Amin, referindo-se ao governo americano, "que não temos materiais ou atividades proibidos, e que todo o arsenal (de armas químicas) foi destruído". Falando a repórteres, Amin também disse que os EUA praticaram "pirataria" ao se apossar, na segunda-feira, da única cópia da declaração de armas do Iraque na ONU. Anteriormente, o governo iraquiano havia dito que a ação permitiria a Washington "possivelmente forjar" os documentos antes que eles pudessem ser revistos pelo resto do mundo. Amin, o chefe de ligação com os inspetores de armas da ONU no Iraque, afirmou que Bagdá está até agora satisfeita com o "profissionalismo" das inspeções. As equipes da ONU, em sua terceira semana desde que as inspeções foram retomadas, visitaram hoje um local de testes de mísseis a oeste de Bagdá, uma fábrica de antibióticos e uma metalúrgica, entre outras instalações. O jornal americano The Washington Post publicou hoje que a administração Bush havia recebido informações críveis de que extremistas islâmicos vinculados à Al-Qaeda receberam uma arma química - supostamente o gás de nervos VX - do Iraque, em outubro ou novembro. O jornal escreveu ter conseguido a informação com "duas autoridades com conhecimento em primeira mão do relatório e suas fontes". Mas outras autoridades dos EUA não identificadas citadas na notícia sugeriram que o "relatório" pode ter sido baseado num caso hipotético, levantando numa recente comunicação dos militares americanos. "Essa é uma suposição realmente ridícula da administração americana", considerou Amin. "Estamos acostumados a tais notícias vindas dos inimigos do Iraque", e ele nomeou as agências de inteligência dos EUA e de Israel. O secretário de imprensa da Casa Branca, Ari Fleischer, negou-se a comentar a informação de inteligência de que a administração Bush dispõe sobre a suposta transferência. Mas ele estimou que o fato pode ter ocorrido. "Temos uma antiga preocupação sobre o Iraque entregando armas para a Al-Qaeda. Sabemos que a Al-Qaeda está buscando essas armas", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.