Iraque pede boicote de petróleo. Nações árabes negam

O vice-presidente do Iraque, Taha Yassin Ramadan, conclamou as nações árabes a pararem de fornecer petróleo aos EUA e ao Reino Unido. "Isso quebrará os agressores", disse. Em entrevista coletiva, Ramadan criticou a decisão branda tomada ontem pelos 22 membros da Liga Árabe, que declarou em uma resolução que os ataques liderados pelos EUA violam determinações da ONU e ameaçam a paz. Para Ramadan, essas ações não são suficientes e pediu o boicote. Imediatamente, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) afirmou que não responderá ao pedido. "Esse pedido só encontrará ouvidos surdos", declarou uma fonte da Opep. Um outro delegado da organização considerou o pedido "impossível", uma vez que há investimentos e questões econômicas envolvidas.Durante a entrevista, Ramadan também classificou os líderes britânicos e norte-americanos de mentirosos por afirmarem que estão se aproximando de Bagdá. "No sexto dia, eles ainda não entraram em nenhuma cidade iraquiana", disse. Veja o especial:

Agencia Estado,

25 de março de 2003 | 08h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.