Iraque pede que Síria entregue assessores de Saddam

O Iraque vai pedir à Síria que lhe entregue assessores de Saddam Hussein suspeitos de desviar milhões de dólares e de ajudar a insurgência antiamericana, disse o presidente iraquiano, Jalal Talabani, nesta quinta-feira. Talabani disse ainda que uma requisição especial será feita quando autoridades da área de segurança que o acompanham na viagem à Síria - a primeira visita de um presidente iraquiano à Síria em décadas - concluírem as negociações com os sírios e voltarem a Bagdá. "As autoridades iraquianas vão pedir à Síria que entreguem todos aqueles que são procurados pelo Judiciário iraquiano, incluindo os suspeitos de cometer crimes não-políticos, como furto", disse Talabani, que chegou à Síria no domingo. "Não pedi pessoalmente que determinados suspeitos sejam entregues, mas existe um acordo de extradição entre Iraque e Síria", disse Talabani, que morou na Síria, exilado, nos anos 1970. O governo sírio não disse se está disposto a entregar os procurados pelo Iraque, que estão entre o grande número de ex-integrantes do governo iraquiano que fugiram para a Síria depois da invasão do Iraque pelas tropas lideradas pelos EUA, em 2003. A delegação de 60 integrantes que acompanha Talabani inclui o ministro do Interior, Jawad al-Bolani, e Hadi al-Amery, chefe da milícia xiita Brigadas de Badr e do comitê de segurança do Parlamento. Amery é uma figura importante no combate à insurgência. Embora o presidente iraquiano não tenha citado nomes dos procurados, entre eles certamente está Izzat Ibrahim al-Douri, vice de Saddam no Conselho do Comando Revolucionário. Douri é suspeito de estar comandando a ação de rebeldes dentro do Iraque. Várias autoridades iraquianas já disseram que Douri está na Síria, mas Talabani afirmou que ele está no Iêmen. "O governo ainda não discutiu pedir ao Iêmen que o entregue. Temos essa informação há algum tempo. Estamos acompanhando seus movimentos", disse Talabani, que é curdo. Acredita-se que a Síria, apesar de ter se oposto à invasão do Iraque, tenha entregue às forças norte-americanas, há dois anos, ex-aliados de Saddam, como o Sabawi, meio-irmão do ex-presidente. Mas desde então as relações entre sírios e norte-americanos piorou muito. Talabani disse que o Iraque quer que a Síria tome medidas mais eficazes para impedir a suposta infiltração de rebeldes no território iraquiano. "Já há um acordo para compartilhar dados de inteligência, o que vai ajudar a melhorar a situação da segurança no Iraque." Segundo o presidente iraquiano, a Síria sabe que, se ajudar a estabilizar o Iraque, isso pode romper seu isolamento e melhorar suas relações com os Estados Unidos. A Síria e o Iraque só restauraram suas relações diplomáticas no mês passado, depois do rompimento nos anos 1980 -- quando a Síria alinhou-se ao Irã na guerra Irã-Iraque, de 1980 a 1988.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.