Iraque pede tropa internacional para proteger eleição

O governo provisório do Iraque pediu que as nações do mundo enviem tropas para proteger uma equipe da ONU que será essencial para garantir as primeiras eleições livres do país, marcadas para o final de janeiro de 2005. Citando a recente onda de violência, o embaixador do Iraque na ONU, Feisal Amin al-Istrabadi, disse ao Conselho de Segurança que os terroristas estão determinados a frustrar o progresso da nação rumo à democracia.O embaixador americano John Danforth praticamente descartou um adiamento do pleito para além da data-limite de 31 de janeiro, fixada na Constituição iraquiana. "Que não haja dúvida: estamos comprometidos com esse cronograma", afirmou.Al-Istrabadi disse ao Conselho que os terroristas obtiveram "algum sucesso" em um de seus "objetivos táticos": manter o restante do mundo e a ONU longe do Iraque. Mas afirmou que o país precisa de apoio técnico das Nações Unidas para realizar um pleito que seja livre e justo, e que o atual contingente máximo de funcionários da ONU autorizado para o país, 35, é inadequado.O embaixador pediu que todos os países do mundo apóiem o Iraque, oferecendo soldados e dinheiro para uma força especial que terá a missão de proteger os funcionários da ONU que forem ao país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.