Iraque planeja fechar fronteiras e ampliar toque de recolher

O Iraque anunciou na terça-feira que planeja fechar suas fronteiras com o Irã e a Síria e de ampliar o toque de recolher noturno para veículos em Bagdá, em mais uma tentativa de pôr fim à violência na cidade. As medidas foram divulgadas em mais um dia sangrento na capital. Uma caminhonete-bomba guiada por um suicida matou 18 pessoas no estacionamento de uma faculdade, um dia depois de ataques a bomba atingirem dois mercados lotados. As novas restrições são as partes mais visíveis até agora da ofensiva do primeiro-ministro, Nuri al-Maliki, contra a violência sectária, iniciada neste ano. O general Abboud Qanbar, encarregado da operação, disse à TV estatal Iraqiya que as fronteiras com Irã e Síria ficariam fechadas por 72 horas. Ele não disse quando, mas uma fonte do governo afirmou que o anúncio só seria feito quando as fronteiras já estiverem fechadas. Ele também prometeu confiscar explosivos e armas ilegais, impor restrições ao movimento de veículos e indivíduos e montar postos de controle na capital. Além disso, "todas as patrulhas dos ministérios da Defesa e do Interior terão de se identificar, do contrário as forças de segurança as tratarão como forças fora da lei", acrescentou o general. Autoridades dos EUA e líderes sunitas acusam o Ministério do Interior, que supervisiona a polícia e é controlado por xiitas, de estar infiltrado por milícias que atuam na capital com carros não-identificados e uniformes parecidos com os da polícia. Os militares norte-americanos dizem que a operação de segurança em Bagdá está em seus estágios iniciais e levará meses para chegar ao auge. Tentativas anteriores de acabar com os ataques a bomba e assassinatos em Bagdá fracasssaram. Qanbar não explicou as razões do fechamento da fronteira, mas autoridades iraquianas e norte-americanas vêm acusando a Síria de não fazer o suficiente para impedir a entrada de militantes estrangeiros no Iraque. No domingo, militares norte-americanos de alta patente disseram que "os mais altos níveis" do governo iraniano estão envolvidos no treinamento de militantes e no envio de armas ao Iraque. O general, que é xiita, disse que a restrição à circulação de veículos, será antecipada das 23h para as 20h, mas continua valendo até às 6h. Sem dar detalhes, disse também que haverá "procedimentos de precaução" para pacotes, correspondências e equipamentos de telecomunicações. Restrições não especificadas também podem ser impostas a locais públicos, clubes, organizações, sindicatos e empresas, "para a segurança das pessoas e de seus trabalhadores".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.