Iraque: Premier apresentará plano de reconciliação

O primeiro-ministro do Iraque, Nuri al-Maliki, vai anunciar neste domingo um plano abrangente de reconciliação nacional que prevê anistia para prisioneiros dos grupos insurgentes que renunciarem à violência e depuserem armas.O pacote de 28 pontos, sujeito à aprovação do Parlamento, inclui vários itens destinados a atender às reivindicações da comunidade árabe sunita, base dos grupos armados que combatem o governo e as forças de ocupação americanas. Entre as propostas, as que a Associated Press teve acesso, estão:- Anistia limitada para "grupos e insurgentes que não cometeram crimes sérios.- Promoção do diálogo com grupos que se opuserem ao terrorismo e aderirem ao processo político;- Permitir a grupos de defesa dos direitos humanos monitorar o sistema prisional iraquiano e ajudar a reformá-lo;- Resolver o problema das milícias xiitas;- Rever o criticado programa de remoção de membros do deposto Partido Baath (de Saddam Hussein) de postos no serviço público; - Prosseguir rápida e seriamente com a formação das forças de segurança iraquianas, para que se abra caminho à retirada das forças multinacionais; O plano também estabelece o compromisso de retomar o processo de reconstrução do país, melhorar os serviços básicos e reduzir o desemprego.Segundo o diário britânico The Guardian, esboços iniciais do plano de reconciliação continham uma oferta de anistia para presos que atacaram tropas americanas, mas que não tivessem "sangue iraquiano nas mãos"."As novas propostas não fazem essa distinção", disse Kameran Karadaghi, chefe de gabinete do presidente Jalal Talabani. "Um crime é um crime, não importa o alvo." Maliki descartou a possibilidade de anistiar membros dos grupos ligados à rede terrorista ou partidários de Saddam Hussein que cometeram crimes de guerra. "Há um espaço para o diálogo com insurgentes que se opunham ao processo político e agora querem aceitá-lo, desde que tenham garantias", disse Maliki na semana passada. Mas não vamos negociar com criminosos que mataram inocentes."O plano de Maliki é a primeira tentativa formal do governo iraquiano pós-Saddam de tentar reconciliar os vários grupos étnicos, políticos e religiosos do país depois de meses de violência e degradação das condições de vida no Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.