Iraque promete respeitar independência do Kuwait

Dirigentes do Iraque, do Kuwait e da Arábia Saudita puseram de lado sua inimizade e apertaram as mãos no último dia da cúpula árabe, em Beirute. Os iraquianos estão se reaproximando de seus vizinhos árabes para obter apoio contra uma eventual ofensiva norte-americana. O representante iraquiano, o vice-presidente do Conselho de Comando da Revolução do Iraque, Ezat Ibrahim - o dirigente mais importante do país, depois do presidente Saddam Hussein - cumprimentou com beijos o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdelaziz, e apertou a mão do chanceler kuwaitiano, xeque Sabah al-Ahmad al-Sabah.Foi o primeiro gesto concreto de reconciliação desde a Guerra do Golfo, quando o Iraque invadiu o Kuwait e a Arábia Saudita apoiou a coalizão liderada pelos Estados Unidos contra Saddam. O Iraque comprometeu-se a respeitar a independência, a soberania e a segurança do Kuwait e garantir sua segurança e unidade, e negou estar fazendo essas concessões por temer um ataque dos EUA. O governo kuwaitiano, porém, demonstrou ceticismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.