Iraque retomará diálogo com a ONU em até 4 dias

O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Mussa, disse hoje que as negociações entre o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, e o Iraque serão retomadas em três ou quatro dias, para discutir as exigências feitas pelos EUA de que o Iraque permita a entrada dos inspetores de armas da ONU no país. Em entrevista publicada hoje pelo diário árabe Al Hayat, Mussa disse que discorda da nova decisão das Nações Unidas sobre o Iraque sem um diálogo prévio e acrescentou que os países árabes são a favor do retorno das inspeções. Mussa destacou ainda a importância de dar a Annan o tempo necessário para fechar um acordo com o governo do Iraque, acusado pelos Estados Unidos de produzir armas de destruição em massa. Em Bagdá, no entanto, a imprensa voltou a criticar com dureza o presidente norte-americano, George W. Bush, por suas ameaças de ataque ao país e pela pressão sobre a ONU.Parlamentares em missão de paz no IraqueUma delegação norte-americana liderada pelo legislador democrata Nick Rahall chegou hoje a Bagdá em missão de paz para tentar convencer o governo iraquiano a permitir o retorno dos inspetores de armas. ?Estamos aqui em missão humanitária, não somente para convencer os iraquianos de que o povo norte-americano está preocupado como também para garantir que a maioria dos cidadãos norte-americanos quer a paz?, declarou. Os quatro membros da delegação disseram que a visita tem o consentimento do Departamento de Estado dos EUA e que o retorno dos inspetores da ONU para controlar o armamento iraquiano seria um passo para a paz. Eles não garantiram, no entanto, que essa exigência será o suficiente para que o presidente Bush desista de seu propósito de atacar o Iraque. ?Não posso falar pelo presidente?, disse Rahall. ?Não estou aqui como secretário nem como inspetor, apenas como membro do Congresso norte-americano?, acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.