Iraque tentou comprar antídoto para gás, diz NYT

Fontes ligadas ao serviço secreto norte-americano deixaram vazar uma versão segundo a qual o Iraque encomendou à Turquia um milhão de doses de atropina, substância normalmente empregada para enfrentar casos de ataques cardíacos, mas que também funciona como antídoto para gás nervoso.Sobre o assunto, o jornal norte-americano The New York Times informou que o serviço secreto dos Estados Unidos descobriu que o Iraque entrou em contato com produtores de atropina na Turquia para adquirir, além do antídoto, centenas de milhares de injetores automáticos de 17 centímetros, normalmente utilizados por militares para proteção contra gases.Há muito tempo o Pentágono distribui este equipamento a soldados em missões no estrangeiro.Bagdá, sempre segundo a informação norte-americana, busca também apropriar-se de estoques de cloreto de obidoxima, outra substância utilizada, com a atropina, para combater os efeitos de armas químicas."Se os iraquianos pretendessem usar agentes nervosos, desejariam tomar medidas para proteger seus próprios soldados, se não sua população", afirmou um funcionário de Washington.De acordo com The New York Times, o Iraque fez a encomenda, mas a Turquia, aliada de Washington e membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), está sendo pressionada para suspender a venda.Segundo fontes norte-americanas revelaram ao jornal, as encomendas superam de longe a quantidade necessária para o uso rotineiro nos hospitais do Iraque. As fontes disseram ainda que a Turquia estaria disposta a rever o assunto. Não ficou claro se algum carregamento já foi entregue.A atropina é eficiente no bloqueio de agentes nervosos como os gases sarin e o VX, ambos produzidos e armazenados pelo Iraque, segundo o próprio país já admitiu. O Iraque alega ter destruído os estoques, mas os Estados Unidos não acreditam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.