Iraquianos apóiam agressor de Bush

Centenas vão às ruas exigir a libertação de repórter xiita detido após lançar par de sapatos contra presidente dos EUA

AP e REUTERS, O Estadao de S.Paulo

16 de dezembro de 2008 | 00h00

Centenas de manifestantes saíram ontem às ruas do Iraque para pedir a libertação de Muntadar al-Zaidi, o jornalista que, durante uma entrevista coletiva em Bagdá, no domingo, atirou seus sapatos contra o presidente George W. Bush, sob os gritos de "este é seu presente do povo iraquiano, seu beijo de despedida, cachorro! Pelas viúvas, órfãos e assassinados do Iraque!". Logo após a tentativa de agressão e os insultos, Zaidi foi imobilizado e levado a um lugar desconhecido por agentes do serviço secreto dos EUA.Segundo os costumes iraquianos, mostrar a sola de um sapato é uma ofensa grave, que equivale a dizer que a pessoa é inferior à sujeira do calçado. Arremessar os sapatos é ainda mais ultrajante.Em Cidade Sadr, subúrbio de Bagdá dominado pelas milícias fiéis ao clérigo xiita Moqtada al-Sadr, eram exibidas solas de sapatos ao lado de cartazes com frases contra a ocupação americana e pedidos de libertação de Zaidi. Os manifestantes gritavam "herói", referindo-se ao jornalista preso. Calçados foram jogados contra uma patrulha americana em Najaf, cidade xiita no sul do Iraque. Os militares, porém, não responderam.O gesto de Zaidi, um xiita de 28 anos, também foi celebrado em outras partes do mundo árabe. Na Líbia, uma instituição de caridade presidida por Aisha Kadafi, filha do presidente Muamar Kadafi, concedeu um prêmio por bravura ao jornalista da pouco conhecida TV Al-Baghdadi e exigiu sua libertação. O jornal libanês Al-Akhbar estampou em sua primeira página a manchete "Um beijo de despedida" ao lado da foto de Bush desviando do sapato voador. "O segundo beijo virá quando as tropas americanas deixarem o Iraque", escreveu o jornal.Segundo um assessor do primeiro-ministro iraquiano, Nuri al-Maliki, o jornalista responderá na Justiça por seu "comportamento agressivo contra uma autoridade e um convidado do governo". Funcionários do Judiciário iraquiano disseram que Zaidi pode pegar até 7 anos de prisão por "insulto ao premiê".Em entrevista após a tentativa de agressão, Bush qualificou o episódio de "um dos momentos mais bizarros" de seus oito anos de presidência. Ele reagiu com bom humor ao ataque com sapatos e, na hora, declarou aos repórteres: "Só posso dizer que era número 42." Apesar de o jornalista ter sido rapidamente imobilizado, sua ação reforçou preocupações quanto à segurança da Zona Verde, área de segurança máxima onde foi realizada a coletiva.NOVAS MORTESA grande repercussão nas ruas e na mídia do episódio dos sapatos acabou tirando a atenção de um sangrento atentado que ocorreu ontem em Bagdá. A explosão de um carro-bomba em um posto de controle deixou pelo menos 17 mortos - em sua maioria policiais - e dezenas de feridos, informou a polícia da capital.OS EUA NO IRAQUEUS$ 576 bilhões foram os gastos com a guerraUS$ 117 bilhões foram gastos na reconstrução150 mil soldados estão hoje no Iraque90 mil civis morreram no conflito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.